O Novo “Anormal” – seis meses depois

BLOG

HOME / O Novo “Anormal” – seis meses depois
O Novo “Anormal” – seis meses depois O Novo “Anormal” – seis meses depois

O Novo “Anormal” – seis meses depois

por Fabiano Bueno / 20 out, 2020

Há quase seis meses iniciava-se no Brasil um período marcante na história de nossas vidas, um período em que todos tivemos que fazer mudanças – em muitos casos, mudanças significativas. No dia 23 de março de 2020 dava-se início à tão falada quarentena. A propósito, quantas vezes a partir desse dia ouvimos ou falamos as palavras quarentena, pandemia e Covid-19?

Claro que, durante nossas vidas, passamos constantemente por mudanças. No entanto, por conta desse cenário atual e dos impactos que ele tem causado, foram necessárias grandes adaptações em praticamente todas as rodas da vida – pessoal, profissional, familiar, religiosa, econômica, etc.

Porém, apesar dos grandes desafios, aprendemos muitas coisas novas. Aprendemos a dividir o espaço de nosso lar com as atividades profissionais; aprendemos a utilizar ainda mais plenamente os meios de comunicação eletrônicos; aprendemos a estar juntos, embora separados; aprendemos a conviver mais tempo com nossas famílias; em muitos casos, pais aprenderam a ser professores, enfermeiros, psicólogos, treinadores e cada dia mais companheiros e amigos de seus filhos. Tudo isso tem sido uma experiência incrível, que mexe não só com nossa rotina, mas também com nossos sentimentos e emoções.

Hoje, após seis meses de quarentena, muito se fala em “Novo Normal”, ou seja, como serão nossas vidas, nosso dia-a-dia após a pandemia. Mas, para vivenciarmos esse tão esperado momento, precisamos primeiro sobreviver à atual fase adaptação e aprendizado. E como não chamar essa fase de “Novo Anormal”?